Conseguir o primeiro emprego é sempre muito difícil. Na tentativa de substituir a falta de experiência vale de tudo: desde projetos bacanas feitos na escola até trabalho voluntário. Se você quer facilitar esse processo para a próxima geração, então seu filho deve fazer um intercâmbio.

Nessa experiência, muitas habilidades importantes para um profissional são desenvolvidas. E para quem está atrás da primeira oportunidade de trabalho, quanto mais qualificação, melhor.

Confira neste artigo por que seu filho deve fazer um intercâmbio para começar sua carreira profissional com o pé direito.

Para se adaptar às realidades diferentes

Quem não se lembra do primeiro dia do filho em uma escola? A criança às vezes chora por não querer ir, mas no final das contas acaba se acostumando com a novidade. Da mesma maneira, seu filho deve fazer um intercâmbio para perceber que pode se adaptar a qualquer ambiente.

É claro que essa integração não acontecerá tão logo ele pise no país estrangeiro. Poderá haver um pouco de medo no início, talvez vergonha para se relacionar com os colegas em outra língua, porém esse desconforto passa com o tempo.

Algumas empresas e organizações que realizam os programas de intercâmbio oferecem, inclusive, uma equipe especial no país escolhido para auxiliar nesse processo de adequação, como acontece com os intercambistas do AFS.

Essa experiência será muito importante para o jovem aprender a quebrar o gelo quando fizer sua estreia no mundo empresarial.

Para ter mais facilidade em tomar decisões

Apesar de todos os profissionais iniciantes passarem por um treinamento, não é isso que garantirá sua escolha ou permanência no cargo pretendido. Uma das características que os recrutadores mais procuram nos candidatos é a proatividade, e isso um intercambista tem de sobra.

A partir do momento que o jovem embarca para o exterior, ele terá de aprender a caminhar com as próprias pernas. Ou seja: toda e qualquer decisão será tomada e arcada por ele, o que exige uma carga de responsabilidade que muitas pessoas só adquirem depois de anos no mercado de trabalho.

Passando uma temporada no exterior, seu filho estará mais preparado para lidar com os desafios de uma profissão, sabendo como arregaçar as mangas e correr atrás de resultados.

Para escolher a carreira ideal

Existem centenas de profissões que seu filho pode escolher. Essa variedade tem seu lado bom e ruim: ela oferece mais possibilidades, porém dificulta o processo de decisão.

E se ele optar por uma carreira que não traga felicidade? Certamente você quer evitar que isso aconteça, não é mesmo?

A melhor solução é colocar o adolescente em um programa de intercâmbio. Assim, além de permitir que ele ganhe maturidade, você oferecerá uma chance única de autoconhecimento para ele.

A viagem para um país estrangeiro acaba sendo, também, uma viagem interior. O jovem passa a se entender melhor, a identificar quais são seus talentos e a batalhar para explorá-los ao máximo.

Dessa maneira, ele terá mais subsídios para decidir qual carreira deseja seguir, diminuindo a possibilidade de arrependimento no futuro.

Para ter um diferencial no mercado

Seja para novatos ou veteranos, a concorrência no mercado de trabalho está muito forte. Por esse motivo, seu filho deve fazer um intercâmbio, com esse diferencial  ele sairá na frente. E dominar uma língua estrangeira dará esse “quê” a mais.

Pode ser inglês, espanhol, francês, russo… Enfim, saber um segundo idioma é fundamental. Esse conhecimento não só chamará a atenção pela singularidade, mas também por comprovar a capacidade cognitiva do adolescente.

Uma pesquisa feita na Escócia comprovou que o cérebro dos bilíngues é mais inteligente do que os demais. E que empresa não quer ter as melhores mentes trabalhando a seu favor?

 

São poucos os desafios da vida que nós podemos prever e nos preparar. No caso do primeiro emprego, cabe aos mais experientes orientar e proporcionar a melhor base para os jovens construírem uma carreira de sucesso.

É por isso que seu filho deve fazer um intercâmbio. Dessa forma, ele ganhará mais confiança e jogo de cintura para enfrentar as dificuldades que aparecerem no caminho.

Pode ter certeza: o tempo que ele passará no exterior será muito pouco perto de tudo o que ele ganhará com essa experiência.

E aí, está convencido do poder do intercâmbio? Descubra neste artigo como escolher a agência ou organização perfeita!