“Fazer esse intercâmbio para mim foi a realização de um sonho e um desafio também. Era o meu primeiro intercâmbio, estava muito ansiosa por dar esse grande passo, além do medo que eu tinha de algo dar errado, principalmente porque durante todo o processo nossa comunicação foi por e-mail e telefone e eu não conhecia o AFS. Foi uma relação de muita confiança e apoio durante todo esse período, desde orientações e dicas para preencher o application até os preparativos finais para o embarque.

A escolha do país foi fácil, juntei o espanhol que eu amo com o lugar que eu sempre quis conhecer… e assim o México foi meu destino. Queria muito vivenciar tudo aquilo que via na televisão desde criança: os lugares, a comida, a música, as pessoas… A escolha do programa foi o Voluntariado no Exterior. Grata surpresa, nunca tinha feito nada parecido. Com certeza mudou a minha percepção, pois antes encarava como um trabalho sem remuneração e descobri que não se resume a isso.

Vivenciei tantas coisas novas, meu programa foi com desenvolvimento sustentável. Aprendi sobre industrialização artesanal de frutas, hortaliças e lácteos; elaborar abono para a terra; preparação de plantas e cultivos; ajudava as comunidades a desenvolver hortas comunitárias entre tantas outras coisas, sem contar que essa vivência me proporcionou saber melhor como vivem a grande maioria das famílias mexicanas. Sem contar aquela convivência diária com meus colegas, a troca de ideias e curiosidades sobre as nossas culturas, aquilo que temos em comum e o que nos distancia.

Com tudo isso, como eu posso dizer que foi um trabalho? Foi muito gratificante ter escolhido esse programa e uma grande sorte Uncader 2 ter me recebido para realizar ali meu programa. Mas a cereja do bolo, o melhor e mais surpreendente de toda essa minha experiência foi sem dúvidas a minha família.

Como foi diferente (estranho de uma forma positiva) ser considerada como filha/irmã/sobrinha dessas pessoas que me escolheram por puro interesse em me conhecer, conhecer melhor minha cultura… realmente não esperava essa recepção, tinha em mente uma relação mais mercantilizada, como se eu fosse viver em uma casa de família, mas não ser parte dessa família.

Posso falar sem dúvidas de que tudo foi perfeito, de como extraño mi família… Hoje sei que tenho uma família no México, pessoas que gostam de mim, tenho as portas abertas para quando eu quiser voltar. O mais bonito que o AFS me proporcionou foram os laços que fiz para toda vida.” – Naraiana Cristiny dos Santos, Trabalho Voluntário no México

(function(w,d,s,l,i){w[l]=w[l]||[];w[l].push({'gtm.start': new Date().getTime(),event:'gtm.js'});var f=d.getElementsByTagName(s)[0], j=d.createElement(s),dl=l!='dataLayer'?'&l='+l:'';j.async=true;j.src= 'https://www.googletagmanager.com/gtm.js?id='+i+dl;f.parentNode.insertBefore(j,f); })(window,document,'script','dataLayer','GTM-T86NHC9');
(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = 'https://connect.facebook.net/en_US/sdk/xfbml.customerchat.js#xfbml=1&version=v2.12&autoLogAppEvents=1'; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));