Quando usados ​​em sala de aula, em oficinas ou em outros ambientes educacionais, os vídeos são uma excelente ferramenta para desencadear discussões e aumentar a conscientização sobre questões importantes. Nesta edição da revista Connect, trazemos algumas sugestões para discussões e atividades para melhorar as competências interculturais dos alunos. Além dessas atividades já apresentada no artigo Trazendo refugiados e suas Adotadas Comunidades juntos através de Aprendizagem Intercultural” professores e educadores também pode usar esta atividade simples, mas eficaz, baseada numa vídeo enviado ao Concurso de Vídeo Plural + Juventude que explora a perspectiva criativa que os adolescentes têm sobre migração, diversidade e inclusão social.

A integração e aceitação de novos membros custam um grande esforço tanto para as comunidades anfitriãs quanto para eles mesmos. Esta atividade irá ajudar os estudantes maiores de 13 anos a compreender os conceitos básicos relacionados com a educação para a paz através da lente de imigrantes e refugiados: a situação no mundo, as razões para a migração e o papel fundamental que cumprem as escolas. Como resultado, os participantes dessas atividades desenvolverão uma maior empatia e melhorarão suas habilidades de pensamento crítico.

Como os temas discutidos nesta atividade podem ser sensíveis e muito pessoais, seria aconselhável fazer a atividade de maneira inclusiva e consciente. Se segue a estrutura geral e se ajustam as perguntas do debate, os facilitadores podem facilmente criar variantes e se concentrar em tópicos semelhantes.


PREPARAÇÃO

  • Tamanho do grupo: 15 a 25 pessoas
  • Tempo: 60 a 90 minutos
  • Materiais: conexão com a Internet, computador e projetor, papéis, canetas
  • Objetivos: Após a atividade, os participantes serão capazes de:
  • Compreender e ser capaz de explicar quem são os imigrantes e refugiados
  • Entender melhor as diferentes razões pelas quais as pessoas migram
  • Tenha uma compreensão ainda maior das conseqüências da migração
  • Desenvolver empatia e apreço pelas pessoas deslocadas
  • Entender o valor da educação
(function(w,d,s,l,i){w[l]=w[l]||[];w[l].push({'gtm.start': new Date().getTime(),event:'gtm.js'});var f=d.getElementsByTagName(s)[0], j=d.createElement(s),dl=l!='dataLayer'?'&l='+l:'';j.async=true;j.src= 'https://www.googletagmanager.com/gtm.js?id='+i+dl;f.parentNode.insertBefore(j,f); })(window,document,'script','dataLayer','GTM-T86NHC9');
(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = 'https://connect.facebook.net/en_US/sdk/xfbml.customerchat.js#xfbml=1&version=v2.12&autoLogAppEvents=1'; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));